3.3.07

As primeiras reacções

As primeiras reacções sobre as linhas mestras da reestruturação, apresentadas no Parque das Nações, pelo Ministro da Administração Interna, não obstante alguma ofuscação, devido à OPA lançada sobre a Portugal Telecom por Belmiro de Azevedo e seus acólitos, não se fizeram esperar, tal como se constata na imprensa escrita e nalguns comentários avulsos que se vão escutando um pouco por todo o lado.
Embora a reforma tenha um carácter globalmente positivo, alguns aspectos começam a levantar alguma celeuma e outros surgirão com o decurso do tempo.
Desde logo, olhando para o famoso “anexo” 1, intitulado freguesias partilhadas, verifica-se que no meio de algumas partilhadas, aparecem também algumas que de partilhadas nada têm, nem tão pouco constituem zona de descontinuidade territorial, e que mesmo assim foram incluídas na lista de trocas entre GNR e PSP. Parece que neste capítulo algo funcionou mal, excepto se existiram outros critérios que não foram divulgados e que durante as negociações tenham servido de moeda de troca. Acho que na maior parte dos distritos, a melhor opção teria sido concentrar a PSP nas capitais de distrito, dando-se a opção aos agentes desta força de segurança de transitarem para a GNR, o que não os penalizaria devido às condições mais favoráveis em termos de reserva e reforma desta última força de segurança. Evitando-se assim, a desnecessária manutenção de duas forças de segurança na mesma localidade (dado que o desempenho das duas forças de segurança é idêntico), tal como deslocações de algumas centenas de quilómetros, com todas as implicações daí decorrentes, factor que parece ter sido determinante no não encerramento de algumas esquadras da PSP dispersas em forma de ilhotas um pouco por todo o lado.
No caso da GNR, o escalão brigada irá ser extinto, sendo imperioso que se acautele a colocação dos militares que aí prestam serviço, de forma a que não lhe sejam causados os problemas que se pretenderam evitar à PSP com o não encerramento das “esquadras ilhota”.
Tanto numa força de segurança como na outra, irão ser libertados para o serviço policial bastantes elementos que até aqui desempenhavam outras tarefas, esta inserção deve-se revestir de especiais cuidados preparando-os para o efeito, uma vez que estão profundamente desactualizados em termos técnico profissionais.
Por outro lado, começa a grassar algum descontentamento no seio da GNR, tanto por parte dos oficias generais do Exército que aí prestavam serviço devido à extinção do escalão brigada e à formação dos oficiais, como por parte dos oficiais provenientes da Academia Militar. Estes últimos, devido a não poderem ser os primeiros a acender ao generalato, se bem que no quadro legal em vigor tal não esteja previsto, o único traço distintivo destes oficiais é exactamente a licenciatura na Academia Militar, ao que consta decidiram criar uma nova associação, numa reunião de cariz secreto realizada na Biblioteca de Loures, interrompida por uma ameaça de bomba, onde por ironia do destino se deslocou uma equipa de inactivação de engenhos explosivos da PSP.
Alguns vozes, tanto da GNR como da PSP, argumentam que talvez tudo isto não seja mais do que a antecâmara daquilo que aconteceu na Bélgica ou na Áustria, caminhando-se a largos passos no sentido da unificação das duas forças de segurança e de alguns dos serviços de segurança existentes.
Também se começam a antever alguma instabilidade nas relações com a Marinha e com a Força Aérea, no primeiro caso devido à vigilância da costa e no segundo por causa dos helicópteros do Ministério da Administração Interna.
Só o tempo nos dirá onde desembocará todo este processo.

Túlio Hostílio

29 Comentários:

Blogger O JACARÉ 007 disse...

Quanto a helicópteros,pergunta-se para quando o cumprimento da promessa efectuada há anos para a entrada em funcionamento do Grupo de Aviação Ligeira do Exército? Quem pode acreditar numa classe política destas?

3.3.07  
Anonymous Túlio Hostílio disse...

Eh pá este Jacaré 007 é mesmo da Secreta, mal se tinha acabado de colocar a psotagem, já estava a comentar.....

3.3.07  
Blogger Mário Margaride disse...

Esta reestruturação agora anunciada nas forças de segurança, faz sentido. no que diz respeito de retirar a GNR, da alçada das Forças Armadas, e intengra-las na PSP, faz de facto todo o sentido. Visto que a GNR, é de facto uma força policial, e não uma força militar, ou para-militar.

4.3.07  
Anonymous Anónimo disse...

Mas alguém acredita que os actuais impedidos nas messes, obras,secretarias,cozinhas e ofícios correlativos ,são reciclados como de se papel se tratasse , e vêm para a rua fazer patrulha? Só na imaginação de algum licenciado que nunca foi militar na vida.Quando se convencem que as pessoas não são mercadoria? Ao Mário Margride aconselho-o a ler os esttutos da guarda e depois pronuncie-se. Foças militares não são todas forças armadas.Forças para-militar com odiz era a polícia antes de ser civil, se quizer os bombeiros e outros que imitavam a tropa.A guarda é a única força militar de segurança por ter as duas valências, capacidade para combater se necessário e fazer policiamento. Em França a Gendarmerie é polícia militar tal como os carbinieriem Itália. Estudem os assuntos e depois venham fazer comentários. Rambo

4.3.07  
Blogger O JACARÉ 007 disse...

Eu acredito.

4.3.07  
Anonymous faroleiro disse...

Ao Rambo,
denota-se na sua escrita algum nervosismo, tenha calma, em tudo na vida (por isso também na exposição das ideis por escrito) a pressa é inimiga visceral da perfeição...Eu sei onde quer chegar, mas olhe que os licenciados não podem ser usados como bode expiatório para tudo o que está a acontecer...Os factos têm de ser analisados friamente, fora da emoção do acontecimento.

4.3.07  
Blogger O JACARÉ 007 disse...

Caro faroleiro,
ainda está para ser analisado friamente o que vamos fazer a militares com mais de 50 anos, que há muito deixaram de ser guardas. Têm sido cozinheiros, correeiros, sapateiros, alfaiates,mecânicos, eu sei lá.
Alguns ainda vão andar por cá, no período transitório até aos 53, 54 anos.
Não vai ser fácil, gerir os seus medos e as suas angústias!
Soube há dois ou três dias que destes há meia dúzia na BF, que nem uniforme têm!

4.3.07  
Blogger Ferípula disse...

Muy bueno.

Me gusta!
:)

4.3.07  
Anonymous Faroleiro disse...

Caro Jacaré 007,
Claro que vai ser uma tarefa muito difícil, mas não se pode partir desanimado logo de início, e aí assumem um papel determinante os líderes (licenciados ou não), porque:
• Servem como modelos;
• Devem de incutir nestes militares elevadas expectativas e fazê-los ver a importância da sua missão, coisa que se calhar nunca ninguém lhes fez;
• Devem demonstrar de uma forma activa e convicta que estão a participar em algo de novo e útil à comunidade da qual também fazem parte, devendo impedir a criação de um clima negativista;
• Transmitir-lhes todas as ferramentas necessárias ao desempenho da sua nova missão, se necessário dar-lhe algo equivalente a um novo alistamento, utilizando os quadros que ficarão disponíveis em 2008 e 2009;
• Encorajá-los a pensar, pesquisar, aprender, trazer conhecimentos do exterior;
• Tentar aprender com as situações menos conseguidas, para assim se evitar que o erro se repita no futuro.
Isto são apenas pistas que deixo, uma vez que não sou especialista em gestão de recursos humanos.
O questão central de todo este problema é que nunca se devia ter permitido que o mesmo atingisse as dimensões e contornos que atingiu.

4.3.07  
Blogger maria josé quintela disse...

Obrigada Túlio, pela simpatia das palavras deixadas nolugardemim.

4.3.07  
Blogger Rafeiro Perfumado disse...

Para um rei romano já falecido, estás muito bem informado... ;)

4.3.07  
Anonymous Anónimo disse...

Meu caro faroleiro
~Pode crer que que nervosismo é que coisa que não tenho. Sabe porquê? É que não sou minimamente afectado. Agora o que me custa é ver tanta mediocridade e irresponsabilidade á solta. Dir-me-~~ao que é fruto dos tempos. Seja. Mas futuramente tudo isto há-de ser julgado e os culpados sejam os pseudo militares intelectuais ,politicos ou lá quem for, saem impunes. Isto faz-me lembrar o Prec e quando as coisas começaram a tomar rumo os mais vanguardistas ou calaram-se ou mudaram de discurso. É o costume. Pobre País que tais filhos... tem. Razão tinha o Gen romano (Sertório?)quando se redria a este povo. Boas festas

5.3.07  
Blogger Klatuu o embuçado disse...

Simples: vai haver muito militar a correr para fora dos quartéis... Alguns vão levar ferramentas de trabalho...

5.3.07  
Blogger manuel disse...

DFFFFFFFFFF

5.3.07  
Anonymous kgb disse...

Perguntar-me-eis: seremos nós fracos ao ponto de trocarmos a alegria possível pela antecipada tristeza, apenas porque as imagens nos turvam o horizonte? Porque não havemos de ser simplesmente nós a fonte do nosso próprio medo, tal como alguns pretendem que a sejamos quando se trata da alegria?

5.3.07  
Anonymous faroleiro disse...

"A GNR é a força de segurança mais afectada pela reforma apresentada pelo Governo, perdendo competências em 90 freguesias. A PSP irá perder jurisdição em 43 freguesias."
Ora aí está a ideia que começa a passar para a opinião pública.
Como se diz no texto: "algo falhou".

5.3.07  
Anonymous alguém disse...

"Mas afinal, para uma coisa são militares, para outra são civis. Compreendo o desagrado que reina na GNR. Até aqui faziam formação separados dos "oficiais" da PSP, que "civilmente" faziam a sua formação no ISCPSI da Polícia de Segurança Pública. A decisão irá causar fragmentos na GNR, uma força que trabalha bem.Tal como na polícia aconteceu antes, esta decisão poderá comprometer a maneira de estar da GNR, que fazia a sua formação na Academia Militar de base!O ISCPSI deverá abrir com outro nome?Ou quando foi modificado já seria para esta situação? Misturarem-se os cadetes... Depois de várias polémicas em torno daquele instituto e antiga Escola Superior de Polícia, o que tem a GNR a ganhar com esta mistura?!
Poderiam ter formação conjunta nalgumas matérias, mas nunca a mistura total na formação entre uma força militar e outra civil !
A ver vamos no que isto dá..."

5.3.07  
Blogger Cathalá disse...

Túlio, tenho acompanhado com atenção as mudanças aí em Portugal.

Minhas desculpas pela ausência de comentários aqui no teu Blog (excelente, diga-se!). É que tem me faltado tempo por aqui.

Grande abraço,

Cathalá
Brasília- DF
Brasil

6.3.07  
Anonymous alguém disse...

"Foi lançado através de mensagens de telemóvel anónimas. Uma forma de protesto contra a anunciada extinção da BT. Associação Sócio-Profissional da Guarda tem conhecimento, mas demarca-se da iniciativa. Comando da GNR diz não saber de nada" (In Portugal Diário de 06/03/2007).
Pergunta-se:
Estamos onde?
Na República das Bananas, na dos Ananases, ou numa outra que ainda desconhecemos?
Estes senhores ainda não viram que estamos num Estado de Direito Democrático?
Se calhar estão a precisar de ser alvo de alguma campanha de reeducação pelo trabalho ao belo estilo chinês ou coreano...
Vamos lá a deixar de amuos e de peneiras, arregaçar as mangas, descer ao país real, o qual não se resume a meia dúzia de itinerários principais e auto-estradas, onde estes senhores até agora se pavoneavam em carros fornecidos pela Brisa, enquanto os acidentes mais graves ocorriam nas estradas nacionais.

6.3.07  
Blogger Noivo disse...

Interessa é ser pra melhor e mais funcional certo?

6.3.07  
Anonymous alguém disse...

é isso mesmo o que se pretende, dado que o actual sistema nem era o melhor, nem funcional.

6.3.07  
Blogger Paula disse...

E será que é mau que as duas forças de segurança se unifiquem? Não sei bem porquê, os que pertencem à PSP são considerados "superiores" aos pertencentes à GNR. Isto resulta num maior respeito pelos primeiros, quando, na minha opinião, todos deveriam ser respeitadas! Existindo essa unificação não há motivo para que isso aconteça!

6.3.07  
Anonymous Anónimo disse...

A todos os intelectuais desta matéria de polícias aconselho a leitura do artigo escrito por José Vegar no Público de hoje (6MAR07)a pag 39 intitulado "Uma reforma das polícias sem coragem e sem visão".

6.3.07  
Anonymous Anónimo disse...

RESTRUTURAÇÃO?????Tudo se resume a poupar dinheiro e descer o déficie...nada mais absolutamente!! é ver no q resultou a restruturação na belgica e na austria

zé do pingalim

6.3.07  
Anonymous Anónimo disse...

RESTRUTURAÇÃO?????Tudo se resume a poupar dinheiro e descer o déficie...nada mais absolutamente!! é ver no q resultou a restruturação na belgica e na austria

zé do pingalim

6.3.07  
Anonymous Anónimo disse...

Quando, há dias passei pelo largo do Carmo em Lisboa, vi muitos "mendigos" de olhar baço a "estender a mão" e nem Nossa Senhora do Carmo lhes dava abrigo naquele convento cheio de hitórias. Estava um frio cristalino. Entrei naquela "casa de gerações de virtudes e qualidades militares" e, para meu espanto, apenas umas velhas faziam a limpeza do espaço pejado de excrementos que gaivotas cagaram para tão grande guarnição.Depois em Alcântara - lá para o lados das janelas verdes - entrei mum "barco velho"; no "tombadilho" escorregadio andavam uns espíritos dos anos 70 do século passado a "matar saudades". Um "deles" limpava as lágrimas e arregalava os olhos em direcção ao Sul e cochichava ao ouvido de outro "espírito", que transportava, com insenção firmeza e cortesia, um crucifixo. Mas o céu não respondia e eles choravam, choravam...com o crucifixo dependurado ao peito. Eu ainda pensei em juntar-me a "eles" mas...o recinto estava agora atulhado de morcegos e algumas beatas de cigarros SG ventil e EG gigante - vistigios de grande stress -. Os "espíritos", deixando "cair os olhos" sobre o cenário, ainda, na sua crença doentia tiveram a ousadia de dizer: "Portugal d,aquém e d, além está conosco!!!" Engararam-se...
Lancei-me, então ao caminho em direcção a Norte...e qual não foi o meu espanto quando, numa esplanada algures em Tomar..., encontrei o homem do crucifixo a servir ao balcão. Confesso que fiquei confuso, perdi o pensamento no preciso momento em que ele me serviu uma cerveja sem alcool que me soube a fel. Afinal o homem mandou fechar todas as saidas, para, dizer que tinham acabado os sonhos, as vivências, o orgulho, o amor à camisola, de muitas gerações de "irmãos" devotos a uma causa nobre.
Vi, também, que, logo ali, se iniciava outra face da "vida": o Homem era o chefe de muitos homens, espalhados, agora, pelo continente e Ilhas, que tinham uma "nobre missão": converter os soldados às novas mudanças. Fiquei a tremer. No outro dia apanhei um avião para longe de Portugal. Pelas janelas ainda me foi possível ver vultos a correr, que "ornamentavam" as ruas, onde as crianças, chorosas, agonizavam, "ensanguentadas" do deserpero dos pais, que não se converteram, e procuravam a nova casa, a nova escola para os miúdos, os novos amigos.Um estremecimento arrepiante!!...Acordei num sítio com silêncio...tinha o pescoço dorido. Fui preso ainda mal tinha deixado o avião...afinal não tinha passaporte e os sistema de informações e segurança, a nova PSP e GNR assim com a PJ e SEF, funcionavam em plena sintónia (risssss).... A sorte foi conhecer um secretário do Estado, moço da minha geração, que mandava, sozinho, naquela gente toda. Bastou um telefonema e logo fui dormir à minha casa onde encontrei a minha "Maria" ex-funcionária da ex-Direcção Geral de Viação e agora ao serviço do Estado num quartel da GNR como escritoraria principal e com um "horário de referência"...

"ABUSUS"

6.3.07  
Blogger João JR disse...

Eu tb acredito!!!!
Beijinhos

7.3.07  
Blogger Metralhinha disse...

«...dando-se a opção aos agentes desta força de segurança [PSP] de transitarem para a GNR, o que não os penalizaria devido às condições mais favoráveis em termos de reserva e reforma desta última força de segurança...»

Caro Túlio, esse é mesmo um dos problemas. É que quem é civil não quer ser militar; quem pode ser (lagarto, lagarto!) julgado em tribunal civil não quererá ser julgado num militar; quem não tem pachorra para caganças militares não vai agora buscá-las e, sobretudo (e tão válido é para os PSPs como para os GNRs) quem tem a vida organizada num sítio (casa, filhos) não quer ir para outro lado, pois o estado não o compensa por perdas materiais.

10.3.07  
Anonymous Anónimo disse...

restruturem a assenbleia da republica...a caixa geral de depósitos-q é um ninho dos job´s for de boys...o banco de portugal...e até o PM Sócrates devia ser restruturado...pois é um grande vigarista e foi eleito pa mentiu com os dentes todos durante a campanha eleitoral. é o maior bluff politico q conheço...porrrrrra

12.3.07  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial